SINDIPI/Notícias/Armadores da modalidade de espinhel de superfície participam de reunião com o TAMAR

Notícias

Publicado em 14/03/2018

Armadores da modalidade de espinhel de superfície participam de reunião com o TAMAR

A pauta do encontro realizado na tarde desta terça-feira, (13) foi a Portaria Interministerial MDIC Nº 74 de novembro de 2017 que estabelece medidas mitigadoras para reduzir a captura incidental e mortalidade de tartarugas, por embarcações de espinhel de superfície, cuja espécies – alvo são: Albacoras: Laje (Thunnus albacares), Albacora branca (Thunnus alalunga), Albacora bandolim (Thunnus obesus) e Espadarte/ Meka (xiphas glaudius). As medidas criadas após estudos e testes realizados por especialistas do Projeto TAMAR, começa a valer a partir do dia 06 de novembro deste ano. Entre as mudanças previstas na portaria estão a utilização de anzóis circulares de tamanho igual ou superior a 14/0, além de petrechos como, desenganchador de anzol; cortador de linha; cortador de anzol; e puça ou sarico.


Durante a conversa com os armadores, os representantes do Projeto TAMAR apresentaram os resultados das pesquisas realizadas durante 14 anos. O trabalho foi executado por embarcações de várias regiões do país. A mudança de anzol e dos petrechos de pesca, de acordo com o TAMAR os resultados apresentados comprovaram a redução de mais de 50% na captura das tartarugas.


Segundo o Coordenador da Câmara Setorial da modalidade de Espinhel de Superfície, Fábio Isleb dos Santos, os armadores precisam promover as modificações exigidas na legislação. “Esta é mais uma lei que vamos ter que cumprir, mesmo que exista resistência ela vai valer a partir do dia 06 de novembro. E quem não cumprir, corre o risco de ser multado”, destacou Fábio.