SINDIPI/Palavra do Presidente/Em Defesa da Pesca

Palavra do Presidente

Publicado em 09/01/2018

Em Defesa da Pesca

Artigo publicado no Jornal Diário Catarinense

No dia 29 de dezembro, a diretoria e os associados do maior Sindicato do setor pesqueiro do país – o Sindipi, ficaram perplexos ao ler o artigo publicado neste jornal (Diário Catarinense), intitulado " Exportação de Pescados”. O autor que é delegado do Sindicato - Anffa Sindical faltou com a verdade ao falar da nossa categoria. Sempre trabalhamos para manter forte essa cadeia produtiva.
É contraditório ler as palavras daquele artigo, uma vez que o próprio sindicato - Anffa Sindical, do qual o autor é membro (delegado), afirmou em matéria publicada no Jornal de Santa Catarina dois dias antes, que: " a crise é resultado da falta de pessoal e de capacitação na Inspeção e na Fiscalização Agropecuária no Brasil". Além disso, na mesma reportagem, o MAPA admite que as críticas da UE, principalmente em relação às Indústrias que processam o pescado para exportação, já eram conhecidas pelas autoridades brasileiras.
Não iremos admitir que a nossa luta tenha sua imagem afetada por fatos inverídicos. Não compactuamos com irregularidades, e não há qualquer prática de atitude ilícita ou não republicana por parte do Sindipi e das empresas associadas.
Cabe a mim como presidente esclarecer esses pontos. As deficiências apontadas nas auditorias da UE, nunca foram encaminhadas ao setor e as operações citadas pelo delegado do Anffa Sindical não tiveram o resultado que ele apregoa, sendo mais midiática do que conclusiva. Além disso, preciso esclarecer que nós nunca buscamos refúgio no Judiciário proibindo qualquer fiscalização, pelo contrário, sempre pretendemos participar de qualquer ação que diga respeito a atividade. Neste caso, o que buscamos foi a defesa de direitos através de uma ação, provando que a matéria em questão era de responsabilidade do INMETRO e que o MAPA estava exorbitando em suas funções, tanto que conseguimos êxito.
Agora, compete a ele identificar e denunciar os "alguns empresários que praticam fraude econômica", e não apenas ser leviano com essa afirmação. Acredito ainda que este servidor tenha tido a mesma determinação quando da Operação Carne Fraca, que também desnudou a precariedade e falta de capacitação na inspeção e fiscalização agropecuária no Brasil.
Por fim, quando entender que houve prática de denunciação caluniosa, como os fatos mencionados pelo Delegado Sindical da ANFFA, que constitui crime, o SINDIPI tomará as medidas judiciais adequadas.

Jorge Neves – Presidente SINDIPI

Últimos Artigos

mais artigos